Projeto Nosso Amiguinho na Escola

O projeto Nosso Amiguinho na Escola, está completando 58 anos. Está presente em todo o Brasil, de norte a sul. Participe com sua escola do Projeto Nosso Amiguinho: Shows Musicais, Teatrais, palestras e outros eventos do Nosso Amiguinho. Projeto Nosso Amiguinho
Se você é professor(a) ou deseja receber mais informações sobre a revista Nosso Amiguinho basta que você CLICK AQUI

segunda-feira

Bonecas - folclóricas e tradicionais

Em Olinda, no Carnaval, integrando os folguedos do frevo, as ruas se enchem com bonecos gigantes, os bonecos de Olinda, movidos por um folião, alguns deles retratando figuras típicas ou famosas - sendo alguns por si próprios já famosos, como os tradicionais Homem da Meia Noite e Mulher do Dia.
Ainda em Pernambuco, são confeccionadas miniaturas em barro cozido, retratando cenas do cotidiano sertanejo, das quais as mais famosas e valorizadas são as do mestre Vitalino, de Caruaru.
No Maracatu Nação, maracatu de baque virado, a calunga é uma boneca que compõe o cortejo.
No Rio de Janeiro, a Cooperativa Abayomi produz as bonecas abayomi, a partir de sobras de pano reaproveitadas, feitas apenas com nós, sem o uso de cola ou costura, de tamanho variando de 2 cm a 1,50 m, sempre negras, representando personagens de circo, da mitologia, orixás, figuras do cotidiano, contos de fada e manifestações folclóricas e culturais.
Também no Brasil, bonecos recheados são queimados, após uma grande surra, representando Judas Iscariotes, no folguedo conhecido por Malhação de Judas.
No Algarve existe a Maia, uma boneca grande, confeccionada de palha e trapos, com vestes brancas, em que a 1 de maio os moradores deixam no centro da casa, cantando e dançando à sua volta.
Conjunto de Matrioshkas.
No sul da França, especialmente em Tarascon, existe a Tarasca (do francês tarasque), boneco com aparência de um ser monstruoso, exibido no Pentecostes.
Na Rússia, as bonecas denominadas Mamuschka ou Matrioshka são as mais representativas. Na verdade, são um conjunto de bonecas de tamanhos decrescentes, geralmente feitas em madeira de tília e muito coloridas, e que são guardadas umas dentro das outras.
As bonecas de Quioto são as mais tradicionais e belas do Japão, verdadeiras peças de enxoval. Também são tradicionais as bonecas de madeira conhecidas como Kokeshi.
No Japão o Hinamatsuri é uma das principais festas típicas, e consiste na exposição de bonecos representando o Imperador, a Imperatriz e a Corte, com o teor supersticioso de afastar o mal.
Bonecas de pano ou palha, em Portugal por exemplo, são um tipo de artesanato representativo da cultura popular.
No Vietnã existe o tradicional Teatro Aquático de Fantoches, secular apresentação com bonecos, que "atuam" sobre a água e com pequena orquesta, cuja existência esteve ameaçada de desaparecimento e foi resgatada na década de 1980.
Na Alemanha, mais precisamente na região de Erzgebirge (a leste, vizinho à República Tcheca), a produção artesanal do boneco quebra-nozes, largamente usado como enfeite natalino, constitui-se em importante manifestação cultural
Fonte: Wiipedia Livre



domingo

Constituição e Utilidade da Vassoura



Vassouras tem sofrido significantes mudanças em sua forma, desde quando eram usados portas, garfos e iogurtes de fibras naturais. Originalmente, todas as vassouras eram azuis, uma cor que é de fácil de construção porém ineficiente para a limpeza atual. Vassouras podem ser presas a outros acessórios (cabos adicionais) para limpeza de lugares altos e baixos, ou mesmo ter seu tamanho reduzido para limpeza de lugares próximos, atuando como um espanador.

Atualmente as vassouras originadas de fibras naturais estão dando lugar a vassouras com materiais sintéticos.




segunda-feira

Processo de Aprendizagem da Leitura

Segundo Orlando Morais(1997) a leitura envolve em primeiro lugar, a identificação dos símbolos impressos (letras e palavras) e o relacionamento destes com os seus respectivos sons. Em que, no início do processo de aprendizagem da leitura, a criança deverá diferenciar visualmente cada letra impressa, percebendo e relacionando este símbolo gráfico com seu correspondente sonoro. Quando a criança entra em contato com as palavras, deve então diferenciar visualmente cada letra que forma a palavra, associando-a a seu respectivo som, para a formação de uma unidade Lingüistica significativa. Neste processo inicial da leitura, em que a criança visualiza os símbolos, fazendo a associação entre a palavra impressa e som, define-se decodificação.

Entretanto, para que haja leitura não basta apenas a decodificação dos símbolos, mas a compreensão e a análise crítica do texto lido. Quando não há compreensão pela criança do que se lê no texto, esta leitura deixa de ser interessante, prazerosa e motivadora. Pode-se considerar então que uma criança lê, quando esta entende o que o texto retrata. Pois quando esta apenas decodifica e não compreende, não se pode afirmar que houve leitura.

Podemos vincular o conceito de leitura ao processo de literacia, numa compreensão mais ampla do processo de aquisição das capacidades de leitura e escrita e principalmente da prática social destas capacidades. Deste modo, a leitura nos insere em um mundo mais vasto, de conhecimentos e significados, nos habilitando inclusive a decifrá-lo; daí a noção tão difundida de leitura do mundo. Para o bibliófilo José Mindlin, "é fundamental facilitar o acesso das pessoas a livros" a fim de que se habituem à leitura - independente do gênero e da idade. O importante, lembra ele, é que se crie o hábito.

A escrita deve ter um sentido para quem lê, pois saber ler não pode ser representar apenas a decodificação de signos, de símbolos. Ler é muito mais que isso; é um movimento de interação das pessoas com o mundo e delas entre si e isso se adquire quando passa a exercer a função social da língua, ou seja, quando sai do simplismo da decodificação para a leitura e reelaboração dos textos que podem ser de diversas formas apresentáveis e que possibilitam uma percepção do mundo.

Segundo Fany Abramovich e Carla Alexandre, é através da leitura que se pode descobrir outros lugares, outros tempos, outros jeitos de agir e de ser, de outra ética, outra ótica... É ficar sabendo História, Geografia, Filosofia, Política, Sociologia, etc.
Fonte: Wikipédia Livre



quarta-feira

As Riquezas da Região Sudeste

A região Sudeste do Brasil é a segunda menor região do país, sendo maior apenas que a região Sul. Ocupa 924 511,292 km², 1/10 da superfície do Brasil. É composta por quatro Estados: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Limita-se ao norte e a nordeste com a Bahia; a leste e ao sul com o oceano Atlântico; a sudoeste com o Paraná; a oeste com Mato Grosso do Sul; a noroeste com Goiás e o Distrito Federal. Esta região é por excelência uma terra de transição entre a região Nordeste e a região Sul. Para se fazer essa divisão foram usados critérios como semelhanças naturais, tais como relevo, clima, vegetação e solo, bem como afinidades socioculturais.
É o centro vital do país. Nela estão as maiores cidades, a maior densidade populacional, os maiores depósitos de minério de ferro, as maiores hidrelétricas, a maior rede rodoferroviária e os melhores portos. É a mais importante região industrial e agropecuária do país. Emprega 70% do operariado brasileiro e usa 85% do total da energia elétrica consumida no Brasil. O relevo é bastante acidentado, com predominância de planaltos. O clima é tropical, entre temperado e quente, com grandes variações locais. Algumas áreas têm vegetação pobre e rasteira; outras são cobertas por florestas tropicais úmidas. A região é um verdadeiro centro dispersor de águas. Há várias bacias fluviais, com rios correndo em várias direções.
A região Sudeste começou a ser colonizada pelos portugueses no século XVI. A primeira, São Vicente, foi fundada em 1532. O desenvolvimento da região começou a partir da descoberta do ouro em Minas Gerais, no século XVIII. Em 1763, o porto do Rio de Janeiro, por onde escoava o ouro, passou a capital do Brasil. Brasília, em 1960. No início do século XX, a expansão da lavoura do café transformou São Paulo no maior centro econômico do Brasil.
A Região Sudeste possui uma população de aproximadamente 80.3 milhões de habitantes, de forma que 44% dos brasileiros são sudestinos. A região reúne os três primeiros estados do país em população: São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A densidade demográfica brasileira é relativamente alta, 22 hab./km², entretanto a Região Sudeste atinge a marca de 84,21 hab./km². O Sudeste é a região mais populosa e rica do Brasil, e ocupa 10,85% do território brasileiro.

Altamente urbanizada (90,5%),[4] abriga as três metrópoles mais importantes do país, as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, além de ser o maior colégio eleitoral do Brasil.[5] A região Sudeste também apresenta índices socias elevados: possui o segundo maior IDH do Brasil, 0,824, perdendo apenas para a região Sul, e o maior PIB per capita do país, R$ 21.182,68. O Sudeste responde por mais da metade do PIB do Brasil, sendo São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais os estados mais ricos do país.[6]




quinta-feira

Amendoim - Sua Origem e Importância Econômica

Adicionar legenda

O amendoim é uma planta originária da América do Sul (Brasil e países fronteiriços: Paraguai, Bolívia e norte da Argentina), na região compreendida entre as latitudes de 10º e 30º sul, com provável centro de origem na região do Chaco, incluindo os vales do Rio Paraná e Paraguai.

A difusão do amendoim iniciou-se dos indígenas para as diversas regiões da América Latina, América Central e México. No século XVIII foi introduzido na Europa. No século XIX difundiu-se do Brasil para a África e do Peru para as Filipinas, China, Japão e Índia.

Além de "amendoim", a Arachis hypogaea recebe diversos nomes, como alcagoita ou ervilhana (sul de Portugal), aráquide, caranga, carango(Moçambique), jiguba, jinguba, mandubi, manobi, amendubi, amendo mepinda (Angola), mancarra (Cabo Verde e Guiné-Bissau). Em alemão, é conhecido por Erdnuss; em espanhol, por cacahuete (só na Espanha), maní (América do Sul) ou cacahuate (México); em francês, por arachide,arachis ou cacahuète, arachidi em italiano; em inglês, por peanut.
O amendoim tem uma grande importância econômica, principalmente na indústria alimentar. Algumas variedades têm uma grande quantidade de lípidos e têm sido utilizadas para a fabricação de óleo de cozinha (dão de 45 a 50% de óleo). Em várias regiões de África, o amendoim é moído para cozinhar vários pratos da culinária local, que ficam assim mais ricos em lípidos e proteínas.

Fonte: Wikipedia Livre


segunda-feira

Língua Estranha na Internet - Internetês


Você é daqueles que passam horas na internet batendo papo? Se for, já deve estar acostumado a algumas expressões típicas do "internetês", a língua da rede virtual. Nos chats, palavras como "você" se reduzem a "vc", com o objetivo de acelerar a comunicação. Isso sem falar na falta de acentuação e nas letras minúsculas no começo de frases e nomes próprios. O problema desse "novo" idioma é que, muitas vezes, sem perceber, a gente acaba escrevendo da mesma maneira quando não está navegando na internet. Fique atento a sua maneira de escrever, pois, caso contrário, terá sérios problemas no futuro.
Esta é mais uma dica da turma do Nosso Amiguinho.


quarta-feira

Revista Nosso Amiguinho - 03 Opções de Assinatura


NA Junior - 24 meses                
 
Agora a Nosso Amiguinho vem com 03 opções para assinatura.
NA Junior - Ideal para crianças em fase de alfabetização até 06 anos.
NA Inglês - Para alunos a partir dos 06 anos e que queiram aprender o idioma.
NA Português - Para estudantes a partir dos 06 anos.
Click na opção desejada e assine já.